(…)Naquele Império, a Arte da Cartografia atingiu uma tal Perfeição que o Mapa duma só Província ocupava toda uma Cidade, e o Mapa do Império, toda uma Província. Com o tempo, esses Mapas Desmedidos não satisfizeram e os Colégios de Cartógrafos levantaram um Mapa do Império que tinha o Tamanho do Império e coincidia ponto por ponto com ele. Menos Apegadas ao Estudo da Cartografia, as Gerações Seguintes entenderam que esse extenso Mapa era Inútil e não sem Impiedade o entregaram às Inclemências do Sol e dos Invernos. Nos Desertos do Oeste subsistem despedaçadas Ruínas do Mapa, habitadas por Animais e por Mendigos. Em todo País não resta outra relíquia das Disciplinas Geográficas.

(Suárez Miranda: Viagens de Varões Prudentes, livro quarto, cap. XIV, 1658.)- Jorge Luis Borges História Universal da Infâmia.

Bons tempos, mesmo. Que esta aqui também transbordou o tamanho do país…

“;O)

Fazer cartografia é bestial.Bons tempos…

Comments are closed.