Ora aqui está uma boa pergunta.

Uma padaria é isto que aqui vêem.

salva portuguesa oitocentista, colecção particular, detalhe
Sem semelhanças com normalizações salíferas da ASAE, mas bem mais parecidas com corporativismos proteccionistas do Estado Novo de inspiração medieva.
Esta tem a particularidade de incluir marranos. O que não é de admirar, dado que foram os judeus os primeiros a criá-las.judeus com círuclo amarelo, Worms, séc. XVI

E incluiu marrano com referências bem divertidas. Uma delas é mera tradição de vestuário – vê-se pelo formato da touca da padeira, idêntica às usadas pelas minorias, na Idade Média.

Mas a outra é mais subtil e aparece num desenho da chaminé do forno- tem pata.

Pata ou ganso-kosher, mais propriamente, pela brincadeira satírica que era conhecida desde a Idade Média- um judeu, como não comia porco, andava sempre agarrado à boa da pata que cuidava para a engorda. O pato ou ganso dos mitos dos barnacles– nem carne, nem peixe- bicho kosher e integral muito útil para alimentar o corpo e a alma.
misericórdia de cadeiral da catedral de Plasencia, séc. XV- judeu a abraçar um pato bem anafado
O que fazem por lá, é outra questão, tanto mais que toda a representação se passe numa casa do Norte da Europa, modelo possivelmente de gravura que o nosso ourives do Porto desencantou e que permanece desconhecido.

Pode dar-se o caso dele se ter lembrado das fiscalizações do 13º pão da dúzia, por causa das velhas trafulhices, ou pode andar por ali pãozinho mais ázimo, de Pessach disfarçado e a historieta ser outra.

Para se responder a estas e outras questões temos de voltar aos selvagens. Aos selvagens da tradição da ourivesaria- neste caso, ao selvagem do centro desta bela salva setecentista, de que começámos a falar aqui.

Until there, good night

“”Sou capaz de ter pó a pancadas verdadeiramente racistas.

Por uma boa razão- os racismos viscerais são os responsáveis por depois se incutirem complexos ideológicos e se perder a lucidez e liberdade de fazer críticas políticas certeiras.
“”

Subscrevo.
Muita e capaz tem sido a tua acção para se destrinçarem estas associações de coisas que nada têm a ver, estas tranças de interesses, e oportunistas !!! Admirável, e indispensável.

Zazie
Obrigada pela resposta. Sempre adorável! Mais que justa a distinção que lhe fez o João Marchante, um Senhor da blogosfera.
Quanto ao nick, o Mundo continua “perigoso”. Mas haja Esperança!
Beijo.
PL

Pão e patas de engorda? Mas os judeus não comiam criancinhas? Espera, esses não eram os comunistas? Ou seriam os judeus comunistas? Fiquei confuso…

Viva, Palestina Livre:

Pois é, essas macacadas divertidas parece que acabaram.

Eu não tenho notícias do Tim desde antes do Natal mas ele estava fino.

Deve ser coisa lá das asceses místicas- se calhar transformou-se em ar, para não personalizar demais a sua missão na terra.

Não sei, ainda tentei macumba com o S. Bernardo, quando fiz aquele post dos santos idiotas, mas não serviu de nada. Não se materializou.

ehehe

O Tim é um bacano e o que importa é que esteja de saúde.

beijocas, sô Palestina- o seu nick é que parece que anda demasiado utópico, né?

“;O)))

Boa Noite Zazie
Pode-me dizer o que é feito do estimável Timshel?
Guardo saudade daqueles vossos “triálogos”, Dragão, Timshel e Zazie.
E do seu vernáculo…

Cumprimentos.
Palestina Livre

#

Até aproveito para deixar outro esclarecimento:

Sou capaz de ter pó a pancadas verdadeiramente racistas.

Por uma boa razão- os racismos viscerais são os responsáveis por depois se incutirem complexos ideológicos e se perder a lucidez e liberdade de fazer críticas políticas certeiras.

Como uma vez disse o Dragão, por outras palavras mais conseguidas que as minhas- também não tenho paranóias de copinho de leite citadino- daqueles que temem os contágios de sangue.

Desconheço essas mariquices de betão. Nem tara de miscigenação global; nem guetho por tremuras de contágios.

Eu também gosto de padarias e desconheço pancadas em relações a raças. Seja marrano, preto, amarelo ou enraba-cabras, para mim não há grande diferença. Nunca perco o carnaval de Noting Hill, precisamente por isso. Pelo bom do saudável convívio com gente diferente.

Por isso é que gosto de os morder à vontade.

Precisamente por nada disto poder ter qualquer verdadeira forma de discriminação de algum ser humano.

Embirrações são outra coisa soft e política ou ideologia nada tem a ver com isso.

Gosto de repor equilíbrios e sempre tive pavor a cabeças quentes.

Gosto muito de padarias e seus forninhos.
Nada de marranos, muçulmanos e outros africanos no meu raio de visão.Incomodam-me e enervam-me.Sou dos bons e velhos tempos…

Venha mais!

Comments are closed.