Lido na caixinha de comentários do Governância do Arroja (não comento lá, porque não gosto de censores que se melindram facilmente).

«A única hipotese que os Pigs tem de melhorar a longo prazo, seria poderem consolidar a sua divida a muito longo prazo, de forma a os estados poderem investir no incentivo à iniciativa privada.

Tais incentivos passam entre várias medidas, por 1) uma fortissima redução de impostos a empresas exportadoras para a UE 2) redução severissima de impostos a empresas exportadoras para fora da UE 3) agravamento de impostos (ou taxas) para importações 4) forte fomento do capital de risco a investimentos que gerem exportações ou 5) investimentos que reduzam importações, alicerçado por 6) envolvimento do estado no que a seguros de crédito diz respeito. Sem esquecer 7) total isenção de impostos sobre lucros a empresas que invistam em sectores de actividade cujas vantagens comparativas sejam melhores (em portugal), definindo e estudando 8) os sectores elegiveis para o efeito; mais, seria urgente 9) promover o associativismo empresarial para efeitos de exportação, 10) mas também para efeitos de produção para 11) obter economias de escala, nomeadamente na agricultura e pescas e producao de carne.

Como de facto, não vejo medidas promotoras do crescimento da economia, devo concordar com os alemães… que o longo-prazo na realidade não vai ser bom. Iremos todos baixando a qualidade de vida até estarmos africanizados ou achinezados.

A este respeito, achei curioso que, durante esta crise, o governo alemão não deixou de se sentar com os responsaveis das fabricas de automoveis, no sentido de preparar a liderança na produção de carros electricos. E é isto que era necessario, governantes que pensem as empresas e a economia empresarial».

RB

Está visto que isto é chinês para os neo-tontos que só conhecem a política do “tira estado e não pagues impostos” e depois pedem-na ao “onzeneiro estatal” (de preferência um mega-onzeneiro internacionalista que é para realizarem a utopia do “Fim da História”).
…………..

17/05 Acrescento

Pode parecer loucura mas é verdade. Este texto do bacano do RB tem sido apelidado de fascista por dois libero-tontos da paróquia.
Para lá de fascista, nessa perigosa mania de ainda haver governantes a quererem governar e a reunirem-se com responsáveis de fábricas de automóveis, é um verdadeiro apelo à autarquia- como disse o comentador Lucklucky, um neo-tonto à americana.