Um clássico é sempre um clássico. Aqui fica a reposição da putona da galinha.

De seguida voltamos às bolhas da finança.