O “nosso” poeta-hortelão a queixar-se do saque que lhe fizeram aos contos que tinha na cabeça.

É no que dá não os plantar a tempo.