A agit prop destes desgraçadinhos do mito da “Esquerda dos pobrezinhos” não pára.

Agora andam para aí com fwds e “facebookadas” de uma nova causa- a da temerária Islândia, que teve a coragem de recusar o capitalismo e está em vias de se tornar o novo Farol do Ocidente.

Nos intervalos dá-lhes para o politicamente correcto, em versão palop e, numa cedência ideológica, lembram-se que sempre se podia pedir um emprestimozinho ao capitalismo que não faz mal à saúde- o dos brasileiros ou dos angolanos.

Imagem: Albanian Corner Store

————————
Acrescento: 13-04

Sob a luz da crise islandesa, o farol da resistência “democrática” (agora é tudo democrático), O Rui Tavares acaba de apelar, no Público, aos Estados Gerais do proletariado e dos intelectuais associativos, em geral.

Ah, pois… eu também é raro e geralmente fico irritada com o exercício.

Mas ele redige bem…
ehehehehe

Não é nada de pessoal, é apenas um exemplo de um fenómeno sociológico que se pode resumir numa constatação “eles replicam-se”. Daqui a um século aposto que ainda vamos continuar a ter estes apelos vindos de “intelectuais idóneos”.

Peço desculpa, cara Zazzie, mas eu não consigo ler as crónicas desse autor. Peço desculpa.

Leu a crónica do Rui Tavares, hoje no Público?

Já está- já aproveitou para fazer passar os “Estados Gerais Revolucionários”. E à boleia da Islândia, também.

E enalteceu a queixa contra as agências de notação mas não se lembrou da hipocrisia de não haver queixa crime contra os nossos políticos que mentiram e aldrabaram a dobrar.

É um fenómeno impressionante como conseguem ver tudo às avessas e aproveitar a desgraça dos outros para tentar fazer passar de novo a utopia.

Aquele quintal sem luz está em vias de se tornar a Islânnoite. Claro que para a esquerda moderna Portugal devia já seguir o exemplo. Sempre a avançar.

Comments are closed.