Mais um texto delicioso de José Pinto Casquilho, a declinar o amor pela natureza, em variantes semânticas, linguísticas, culturais, artísticas e matemáticas, como só ele sabe fazer.

A ler, na Revista TriploV