Guy Dabord,La Société du spectacle (1973)

O famoso antrax, que nós por cá até tratamos por tu, como o carbúnculo alentejano e os brasileiros na variante da peste manqueira, também tem propiciado alguns mistérios.

Começou por ser alarme de mais uma arma da Jihada, enviada em cartas aos senadores democráticos americanos, até que um cientóino acaba por se suicidar, depois de experiências com o dito, a fim de inventar vacina- dizia-se- com mega programa de financiamento do Pentágono.

A arma química, que havia sido detectada por outro idêntico, com currículo ligado à Defesa e à manipulação das viroses deixa de o ser, pois este acaba agora por dar o dito por não dito , após a incriminação do colega maluquinho que quinou.
O maluquinho cientóino suicidou-se por loucura natural, digamos assim, tal como o antrax mata, como a natureza o permite.

No entanto, parece que as controvérsias ainda não acabaram e outros cientistas questionam se a manipulação dos aditivos de sílica nos esporos existiu, ou se poderia ter sido feita apenas por uma pessoa, sem um programa do estado já organizado.

«The truth will come out when all the data are revealed,” Jahrling says. But there is no indication from the FBI that more data are forthcoming anytime soon. Until they are provided, there will continue to be suspicions and speculations about the silicon in the spores.»