Isto de andar às voltas com selvagens não é pêra doce. Desta vez, algo me diz que apanhei um Papa…
detalhe da salva setecentista- col. particular Quero dizer, ele é que agarra o demónio bravio mas aquele nome não engana- um Silvestre é como um Doctor Jekill e um Mister Hyde- umas vezes caçador, outras bem verdinho e caçado…
Um dia destes conto a história, que a salva é tuga mas não o será por muito tempo- nestas coisas o vil metal soa mais alto; não basta tocar campainhas para as encadear.

Era uma boa hipótese, o S. Bartolomeu a agarrar o demo que andava à solta.

E é bem capaz de ter “ecos” dessas tradições populares que por cá continuavam a fazer-se.

Mas, por outros motivos, não me parece que o “modelo” seja esse.

Qualquer dia avanço mais um pouco, mostrando outros detalhes.

S: Bartolomeu no seu melhor!

Viva, CCz:
O problema é mesmo esse- quando é que há história, quando não há, como se misturam histórias com mera decoração e quais são as fontes.

Esta é um quebra-cabeças mas eu prometo que a vou fazer falar (aos pouquinhos)
“;O)

Zazie,
.
Escreve como uma pitonisa e depois ficamos aqui cheios de cuiriosidade à espera de conhecer a história da salva e do seu significado.
.
Please do not forget to tell the rest…

Comments are closed.