no Hortus Sanitatis (1485) da autoria de Johannes de Cuba (edição de 1500)

esponjasestrelascães

1 e 2- Umas esponjas e estrelas marinhas muito catitas descritas por Plínio.

3- Cães-marinhos – segundo Isidoro de Sevilha, tinham patas pequenas mas parece que eram terríveis- os gregos viram-se gregos com eles.
vacaporco-espinholebres
4- Dois equónilus, que eram cavalos do rio e uma vaca piscícola.

5-Porcos-espinhos aquáticos.

6- Lebres marinhas- (foi no que deu trocar-se os moluscos por lepus)- espécie leporina que Plínio também descreveu. Consta que tinham o estranho poder de fazer com que as mulheres grávidas abortassem, só de cheirarem o seu sémen fedorento.
porco-ostraporcohomem-baleia
7- Porcos que cresciam dentro de ostras. Segundo Alberto Magno, no segundo livro da Natureza dos Animais, no têm dois pés e asas que lhes permitiam umas escapadelas em certas alturas.

8- Um porco peixe- conhecidos por até dentro de água continuarem muito libidinosos.

9-Uma baleia-homem- descrito por Plínio no livro nono da História Natural.

delfinsguerreiromonge
10- Um casal de Delfins- faltava-lhes paladar e olfacto na cara mas compensavam-no no peito e soluçavam como os humanos.

11- Um ziriron- militar marinho

12- Uma espécie raríssima- um frade marinho, acompanhado de unicórnio. Consta que tinham barba. Neste caso a discrição da santa alimária deve-se a Séneca e o trocadilho a erros de tradução- fazendo de uma foca- vitelus marinus– um monge.

serra e cila
13- Para chatear o religioso aquático, também havia hereges marinhos, da família das Nereides e da mesma natureza das baleias. Dotados de grande malícia, ficavam parados e inertes à espera de vítimas para devorarem.

14- O peixe serra e o peixe cila- A primeira, veio de troca de letras com as sereias e acabou num bicho que serrava as embarcações com a dentuça. O cila-doutor habitava no mar que separava a Itália da Cilícia

15- Trebius Niger, companheiro de Lupullus, cônsul da Hispania Baetica, descreveu estes peixes que faziam ninho em cima das árvores.

16- Um thynnus que era um desatino. Este monstro marinho, com cauda de macaco, patas de cabra e corpo de porco-espinho, tinha uma estranha curiosidade pelo mover das velas dos barcos. Na verdade, não passava de um atum.

Consultar obra digitalizada pela MZD- Centro de Digitalização de Munique