Afinal, a trampolinice de hoje, que nada teve a ver com palavrões, e nem a de ontem, que apenas foi pretexto para fazer passar o colega por idiota melindrado, acaba a ser justificada com uma listinha de palavrões hediondos com que terei mimado aquel@ cavalheir@ e mais uns delicados espectadores do Bulhão.

“reles mentiroso e intriguista”, “sacana”, “velhaco”, “louco varrido”, “monga”, “ressabiado”, “paranóico”, “palerma”, “desorelha e não atrapalhes”, “palonço”, “palerminha”,”Estes animais gostam de merda”, “besta quadrada”, “imbecil”, “estúpido que nem uma porta”, “coño, com essa mentalidade de grunho mais retardado que o mais primitivo canibal reformado que ainda exista”; “ò caralhos!”; “Que raio de estúpido és tu… meu imbecil napoleónico”.

De facto, nem sei como vou ter cara para sair à rua sem temer vingança de algum napoleão de hospício, ou ser mordida por canibal reformado, deste antro tão delicadinho de marmanjões de estufa.

“:O?