Há falta de melhor, lá vamos fabricando os mártires e heróis, à escala da nacinha*.

Este que se manifestou numa caixa de comentários merece, no mínimo, uma estátua equestre no Martim Moniz.

Arriscando o couro e o emprego vitalício, teve o sangue frio e a coragem de enfrentar uma sala de donas-de-casa, para atacar logo três actas, à vez.

Lido numa caixinha de comentários a propósito da novela mexicana do prof. que se atirou da ponte.

Helena,
Agradeço, em meu nome pessoal e em nome de todos aqueles que têm a coragem de dizer e escrever em actas e relatórios a verdade dos factos, mesmo que isso venha a resultar na perda do seu trabalho e do seu salário a curto prazo.
No meu caso já aconteceu por 3 vezes.
Criou dificuldades na minha vida? Criou. Tive medo pelo futuro? Tive. Foi difícil? Foi.

Nota: só não leva link porque os grandes heróis da História são sempre anónimos humildes.

* neologismo da autoria do Dragão