Como se não bastasse tanta possidonice com o luto nacional pelo Saramago, ainda anda por aí um grupo de escuteirinhos blogotontos, de apêndices nasais postiços, a insultarem o Ezra Pound, não vá a memória poética ofuscar o superior dom humanista do futuro candidato a Nobel da Paz que eles patrocinam- esse guia mirim que dá pelo nome de Benjamin Netanyahu

Olá, Nuno

Pois eu também gosto muito dele.

Mas passei-me porque andavam a chamá-lo nazi em vez de fascista.

ehehe

Palavra. Os imbecis foram-no buscar para defender o que nem o governo de Israel defendeu- aquela anormalidade com a flotilla.

Por isso é que fiz este gozo. Há gente fanática que nem se enxerga e os marranos tendem a dar nisso.

Quanto ao bispo praticamente nem acompanhei o caso.

Geralmente é sempre a confusão entre os 6 milhões (nº da besta) ou menos gente ou a dúvida acerca das câmaras de gás, que o Leuchter foi o primeiro a negar.

Não sei. É assunto tabu que dá direito a prisão.

Por cá temos a fantasia dos milhares de mortos pela PIDE que até podem ter sido apenas dezenas mas se alguém disser isso também apanha com excomunhão ideológica.

Ezra Pound! O que eu curti desse aluciando quando li os ‘The Cantos’. Mas olha que ele cascou no Camões, pois dizia que ‘Os Lusíadas’ não passava de retórica florida e bombástica.

Mas também sempre fui do critério que se se reputam bem os marxistas, também não se deve anatemizar autores da outra ala extrema.
Falando de sionismo, que achas da apreensão do bispo Williamson?

Comments are closed.