Crab Nebula, observação da supernova desde a dinastia Sung


space, spacetime and superspace.

A acompanhar aqui um excelente debate com pertinente participação de Desidério Murcho.

Quer-me parecer que tens toda a razão nesses dois aspectos comezinhos: não percebem patavina da ciência contemporânea e menos ainda da filosofia de sempre. Continuam a dar na veia com Iluminismo, puro e duro. Estricnina mental, da melhor que há!… :O))

à, e só um pequeno detalhe: não embirro com o JM mas sou capaz de partilha contigo aquele ódio de estimação de que ainda hoje falaste. Quanto mais não seja porque, esse sim, é feito em público, com muitas “luces” e lantejoulas “;O)

hummm… sabes mais deles que eu…

Por mim gosto destas coisas. E acho que o tema é pertinente. Agora o que fazem com os respectivos traseiros já não é da minha conta. Acredita.

Em termos mais básicos há por ali dois aspectos curiosos. Um, consiste no défice de conhecimento em relação à ciência contemporânea. O outro no desconhecimento de noções simples de filosofia.

E, se quiseres, ainda te arranjo mais dois que estou magnânima:
o facto deste desconhecimento ser muitas vezes recíproco por quem é de uma área ou de outra. E o velho, mesmo velhinho e barbudo problema ideológico do “idealismo” pequeno burguês contra o bom e sempre revolucionário materialismo e realismo por muito ingénuo que se apresente.

Só por isso gostei que o JM se tivesse lembrado do assunto.

Aquilo, no meu modesto entender, virou colóquio de Beija-Cus e Cheira-Rabos. E como se já não bastasse o Vidente Miranda, eis que surge o mestre-escola Murcho, lendário cromo da Travessa da Meia-Porta, ali ao Campo Grande. Estou em crer que deve ter andado a absorver bibliotecas; aquele crânio é um verdadeiro buraco negro…
O problema destes mestres-escola é que decoram de empreitada e com fidelidade de estereofonia, mas raramente alcançam mais que o débito em play-back. Pensadores karaoke, ah-ah!…
Não obstante, a pose oracular do Murcho, verdadeiro repolho filosófico, é uma delícia.
Aquilo, às tantas, até parece um consultório de bruxa lógico-metafísica. O Murcho, claro está, fantasia-se de tarot witgensteiniano e bola-de-cristal histórico-filosófica em riste.
Hilariante…

Mas eu, como bem sabes, de metafísica nao percebo nada. Estou só no bota abaixo, pois!… :O))

Comments are closed.