A igreja do convento de S. Paulo de Elvas (séc. XVIII)(tribunal Militar devoluto) vai ser demolida.
A ordem vem do Ministério da Defesa, possivelmente para acompanhar a candidatura a Património Mundial da arquitectura militar da autarquia.

Acrescento: 11/7

Petição online
Vamos salvar a Igreja de S. Paulo

http://www.PetitionOnline.com/paulista/

Igreja de S. Paulo um triste fim.

A igreja de S. Paulo em Elvas sec. XVIII (em frente à Escola Superior Agrária) dentro de poucos dias será demolida.
Esta Igreja é a maior igreja da Congregação dos Monges de Jesus da Pobre Vida( também conhecidos como Paulistas da Serra de Ossa) única ordem masculina com origem e casa mãe em Portugal Elvas, e toda a zona alta nobre da cidade recuperada e reabilitada nestes últimos anos; castelo, antigos quartéis (oficinas de artesanato), Casa das Barcas (mercado municipal), Quartel do Trem (Escola Superior Agrária), e Nossa Senhora da Conceição; perderá muito em termos de conjunto arquitectónico.

Se nada for feito para sensibilizar os organismos competentes,Ministério da Defesa (o Exercito é o dono da obra e do edifício)Ministério da Cultura e a Câmara Municipal de Elvas, para que pelo menos a imponente fachada da Igreja de S. Paulo seja conservada; esta imagem será uma das ultimas que verão desta bonita zona da cidade de Elvas e todos os elvenses e os portugueses ficarão com uma cidade monumental e candidata a Património Mundial muito mais pobre em beleza e conjunto histórico.

Pois foi isso mesmo. A trampa da Republica entregou as igrejas e conventos ‘a tropa e saqueou o resto.

E este convento nem sequer foi classificado como monumento, o que ainda ‘e maior vergonha.

Estas trampas quase me fazem sentir inglesa. Ao menos estes malucos gostam da Natureza e cuidam do passado e dos monumentos como mais ninguem.

Diz que não. Afinal parece que deveria ter sido facultado o estudo da demolição a uma Entidade Oficialmente Apropriada Para A Análise De Demolição De Património.
A república entregou o Património à tropa…e é o que se vê. Deixa-se apodrecer de pé para depois lhe chegarem com o camartelo. Ah Portugal Portugal…

Pois é. A ver vamos, como diria o cego. Estou de viagem. Abç

Pensava que essas práticas tinham morrido no tempo do fascismo, tempo esse em foram demolidos os monumentos da Alta de Coimbra, para fazer os mamarrachos da universidade que lá estão agora. Mas pelos vistos, na Terceira República, as práticas em relação ao património não mudaram.

Os comentários do blogger estão marados
—————–

Estava a dizer que, segundo o fwd que me mandaram e com informação do MC, vai tudo abaixo.

Poder-me-ia tirar uma dúvida. Será demolida apenas a parede lateral com os tais ninhos de andorinha ou toda a estrutura, incluindo aquela belíssima fachada?

Comments are closed.