paciente como um artesão

cose, corta, raspa, desfia, enrola…

disfarça as imperfeições da obra

e aguarda que o vento esteja a favor

“O vento sopra onde quer, e ouves o seu ruído mas não sabes donde vem nem para onde vai.”

ele é o maior de todos! Bresson é o cinema. Uma câmara que flutua, dança, sem que se note a menor técnica. O jansenismo depurado onde nada está a mais. E essa relação única com os sons e o silêncio. E o Bresson também faz parte da minha “parceria” com a menina Cris. E ela sim, é que fechou a Janela com aquele lindísso texto.

Segue o Last Tapes, é o que te digo…

“;O)

bjs

Fugiu um condenado à morte?

Conheço apenas dois filmes dele: o “Fugiu um Condenado à Morte” e o “Pickpocket” com que tu, zazie, puseste fim à “Janela Indiscreta”

verdade? é mesmo assim. Em miúda também guardava os chupas o mais possível para depois ainda saberem melhor “:O)

tu és uma querida. E eu estou fula porque o meu menino nunca mais despacha a “mercadoria”…

mas repara que aguentei mais de um mês com o filme (les dames…) em casa, sem o ver. vale uns pontos o exercício de reserva, não zazie? 😀

esta semana segue o seu caminho 😉

Filósofa da praxis

Comments are closed.