Acho sempre muita graça à Cris com as suas descobertas em toda a espécie de biblioteca que desencanta quando vai de férias. É assim, há quem goste tanto destes lugares, como da mais esplêndida paisagem sem marcas de passagem humana. E um gosto não invalida o outro.

Aqui ficam algumas das minhas eleitas.

A velha Bodleian em Oxford com a secção dos manuscritos e a cadeira do Sir Francis Drake que lá está guardada.

Com sorte, pode-se escolher um lugar com janela a dar para alguma gárgula.

A antiga Nacional de Paris, do Labrouste, no Richelieu, tão bela em arquitectura com surpreendente na colecção de estampas.

Outra maravilha era a antiga British Library dentro do Bristish Museum. A labiríntica rede de túneis e salas escondidas provocava um certo frisson se pensassesmos nas múmias egípcias. E depois havia a sala dos manuscritos iluminados de acesso mais complicado que o dos cavaleiros que dizem NI, que possuía uma estranhíssima vigia elevada em forma de guarita.

Por último, as que provocam ataques de gula por serem de consulta directa.

Uma é deliciosa, nunca tem praticamente ninguém e até se consegue passar um dia no chão a atacar aquelas preciosidades todas- é a do Ashmolean Museum também em Oxford
A outra, a mais fascinante de todas que conheço, fica ali no Woburn Square em Londres e há anos que sonho que se esquecem de mim e consigo acampar lá. (já faltou mais…)

não conheço a obra mas fiquei curiosa, caramelo. Bjs

  • Anonymous

Olá, zazie! Esta da Bibioteca do Museu Britânico lembrou-me “O Museu Britânico ainda vem abaixo”, uma obra divertidissima do David Lodge (The British Museum is Falling Down). Agora, já tenho uma imagem do cenário onde se passa a maior parte da história.

caramelo

modestas mas muito queridas, Cris. Olha que também me apeteceu falar da bibliotecazinha do meu bairro que é bem catita. E adoro a do Funchal!

oh, as “minhas” bibliotecas de verão são tão modestas à beira destas…

viva menina Lídia!

agora fiquei com vontade de conhecer a mais fascinante biblioteca de que falas. tenho uma queda por biblios. a mais bonita que conheço, pela vista que tinha principalmente (o rio), era a da faculdade de letras. agora adorava conhecer umas tantas que cá sei. pena nao haver biblio a funcionar em horário nocturno, aqui, em portugal. dava um bom filme. mais um post só com biblios em certos filmes.

Comments are closed.