Alguns quilham-se apenas por não pertencerem à espionagem proibida, criminosa mas oficial.


………….
Imagem retirada do magnífico espólio do
The Visual Telling Stories
—————
Acrescento; para não me repetir, estive a comentar esta historieta aqui .

Pois é Laoconte. Eu escrevi aquilo a pensar em directo.

Mas a questão é que os factos que saem cá para fora deviam ser conhecidos. Alguns deles queimam, como estes do narcotráfico em Africa a ser protegido e misturado com o Poder.
E a perseguição que lhe estão a fazer envergonha tudo aquilo a que se possa chamar a boa da democracia ocidental e supremacia da sua “civilização”. Mas há gente que não enxerga e até aquele JMF do Público, fez o mesmo triste papel do estalinista do JPP.

E dizem-se liberais. Eles são aquilo para que nasceram- censores estalinistas e facciosos ideológicos.

“As provas de uma mentira ou verdade não são científicas. Dependem sempre de quem assume um discurso. Se ele mentir, de forma que haja provas de que foi inventado, cai- automaticamente. Porque o Poder só pode provar as mentiras dele, nunca as verdades dos segredos de Estado.

A coisa é bem mais curiosa. O que tu podes é perguntar o efeito de fábula que um facto em bruto sem corpo, passado nos media como uma fonte escondida do Poder mais importante do mundo, tem ainda de mais fabuloso no imaginário de quem sabe que só pode saber algo de verdade ou mentira, por mero acaso, ou factos não controlados que sejam o desfecho do que se desconfiava. Ele jogou com isso.”

Gostei da análise. Faz-me lembrar da teoria de conhecimento do grande filosofo Karl Popper, onde, do pouco que ainda recordo, as teorias cientificas devem ser testadas continuamente e bastava uma unica observação científica negativa para as derrubar.

E na minha humilde opinião, o trabalho do wikileak não é mais do que uma tentativa séria para reformar o sistema ocidental que, com o fim dos soviéticos (equilibrio/concorrencia), foi totalmente ofuscado pela hubris dos poderosos e a ganância dos oportunistas. Até ao ponto irónico de haver oportunista (arvorado em discipulo de Popper) a aproveitar o nome de “Open Society” para atingir objectivos contrários.

Oxalá que haja muito mais pessoas deste Mundo a apreciar o trabalho de Julian Assange e do Wikileak.

muito bom !

Comments are closed.